• Lygia Bueno Fragoso

Como estimular a audição das crianças com alguma deficiência auditiva?

Atualizado: Fev 13

Fonoaudiologia: Dicas de como estimular crianças com deficiência auditiva.

As crianças com perda auditiva podem ter diferentes capacidades auditivas. Umas podem ter uma perda auditiva maior ou menor que outras, que irá gerar uma menor ou maior capacidade de ouvir. No entanto, todas podem aprender a “ouvir” e interpretar os sons, desde que seja utilizado o resíduo de audição que elas ainda possuem juntamente com aparelhos de amplificação sonora individual.

Mesmo que a criança apresente surdez profunda, ela pode ser beneficiada com o resíduo auditivo que ainda possui para desenvolver a consciência do som, seja a presença ou ausência de ruído ambiental, sons instrumentais e sons da fala. Quanto mais precoce for a estimulação auditiva na criança, melhor para o seu desenvolvimento, porque é nos primeiros anos de vida que a função auditiva é desenvolvida e ocorre a maturação das fibras nervosas.

E como deve ocorrer essa estimulação?

Primeiramente, a estimulação auditiva é um trabalho que exige participação efetiva do terapeuta e dos responsáveis pela criança. A participação da família ou responsáveis pela criança é fundamental para o tratamento porque é no ambiente que ela convive que haverá diversas situações e experiências sonoras que serão vivenciadas a uma determinada situação. Por exemplo, barulho do carro passando, barulho de um objeto caindo, tampa de panela e outras.


A estimulação auditiva envolve atividades para estimular a criança a conhecer os sons, sejam eles da fala ou sons instrumentais, importantes para a vida dela. Inicialmente, vale trabalhar com a identificação da presença ou ausência de sons com apoio visual e tátil. Ao verificar que a criança percebe a presença ou ausência de sons ou ruídos é interessante solicitar uma resposta da mesma. Dessa maneira, a criança poderá, por exemplo, jogar a bola quando perceber o som e na ausência apenas segurar a bola.

O terapeuta também pode:

Apresentar sons instrumentais do mais grave para o mais agudo como, por exemplo, tambor, reco-reco, agogô, triângulo e sino; Fazer a criança ter interesse por sons que a rodeiam no dia a dia, como: objetos caindo no chão, campainha tocando, janela e porta fechando, despertador, buzinas de carro, descarga do banheiro, torneira de água, motor do ônibus, pessoas conversando ou até mesmo ouvir a própria voz de maneira amplificada;

Associar os sons com informações importantes para a criança, por exemplo:

- Buzina de carro: sinal de atenção para o carro que está passando; - Campainha tocando ou batidas na porta: sinal que alguém está chegando ou querendo entrar no ambiente; - Despertador tocando: sinal que já é hora para acordar;

Estimular a atenção e a localização do som com brincadeiras como cabra-cega e dança da cadeira.

Existem muitas maneiras para estimular auditivamente as crianças. Lembre-se de trazer sons importantes para o dia a dia da criança que fará sentido na vida dela para tornar essa descoberta do mundo sonoro ainda mais interessante.



#fonoaudiologia #audiometria #exameaudiologico #deficienciaauditiva #perdaauditiva #perdadaaudicao #estimulacaoauditiva #audicao

558 visualizações