• Lygia Bueno Fragoso

Como a fonoaudiologia pode ajudar a melhorar a qualidade de vida dos idosos?


Lygia Bueno Fragoso é fonoaudióloga graduada na Universidade Federal de Minas Gerais com mestrado em bioengenharia na UFMG. Experiência em audiologia, linguagem infantil e adulto, voz e motricidade orofacial em consultório particular, atendimento domiciliar, APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) e NASF (Núcleo de Apoio a Saúde da Família).

De uns tempos pra cá, o número de idosos vem crescendo muito no nosso país, devido ao aumento da expectativa de vida e ao avanço da tecnologia médica que nos fornece maiores cuidados. Porém, o avanço da idade na nossa população, trouxe também o aparecimento de muitas doenças crônicas e irreversíveis, bem como problemas provocados pelo próprio processo do envelhecimento. Muitos desses idosos apresentam dificuldade na comunicação, fala, voz, mastigação, deglutição, memória e na realização de atividades do cotidiano.

E o que a fonoaudiologia pode ajudar ?

A Fonoaudiologia é capaz de promover uma melhor qualidade de vida aos idosos com relação à linguagem, motricidade oral, cognição, fala e voz. A sua atuação envolve desde uma avaliação minuciosa, terapia de acordo com a demanda do idoso, encaminhamentos necessários para diversos profissionais, orientações e aconselhamentos a família para poder lidar com as dificuldades. As alterações na comunicação do idoso são as que mais interferem negativamente no seu convívio social, pois leva ao isolamento, solidão e ansiedade. As causas das alterações dos aspectos cognitivos, distúrbios da voz, diminuição da acuidade auditiva, dificuldade na fala, mastigação e deglutição, podem ser encontrada nas alterações do sistema neurológico, físico, psicológico, social ou no processo natural do envelhecimento, como resultado de um funcionamento anormal de uma dessas causas ou da sua atuação em conjunto. Os problemas cognitivos podem estar associados ao comprometimento da memória, afasia (distúrbio de linguagem que afeta a comunicação oral e escrita), agnosia (dificuldade de reconhecer e identificar objetos familiares por meio dos órgãos do sentido), que podem afetar as atividades diárias do idoso. O fonoaudiólogo pode promover exercícios para estimular os aspectos cognitivos da linguagem, por meio de atividades que irão atuar nas funções do cérebro como atenção, memória, percepção, raciocínio lógico, por exemplo, com o intuito de melhorar o potencial cognitivo que ainda existe nesse idoso. Dessa forma, capacitará o idoso a obter um funcionamento o mais próximo da autonomia, o que pode atrasar a evolução e ajudar a compensar essas dificuldades.


A audição também é afetada nos idosos, fenômeno natural do envelhecimento do aparelho auditivo denominado presbiacusia. É a perda que mais prejudica a comunicação, porque o idoso não consegue entender o que é dito e, portanto, não se comunica. O uso de aparelhos auditivo são indicados e adaptados por fonoaudiólogos. Porém, também é necessário fazer um treinamento auditivo para melhorar as habilidades auditivas e proporcionar maior capacidade de discriminação e compreensão da fala.

Assim como a audição e a voz, as mudanças anatômicas e funcionais das estruturas orofaciais com o avanço da idade, como falhas dentárias, alterações de força, mobilidade e amplitude dos movimentos dos músculos orofaciais podem acarretar prejuízos na inteligibilidade da fala e nas funções de mastigação e deglutição. Em função disso, é necessária a intervenção fonoaudiológica para atuar com exercícios preventivos e de estimulação e fortalecimento das estruturas orofaciais.

A disfagia, dificuldade no processo de deglutição, comum em idosos com alterações neurológicas, também pode ser beneficiada com a terapia de reabilitação da deglutição por meio de técnicas e exercícios orofaciais e vocais. É essencial que o fonoaudiólogo prepare atividades que possam atuar em diversas funções que precisam ser trabalhadas no idoso, com o intuito de recuperar as funções, minimizar ou estagnar possíveis perdas.

A fonoaudiologia tem um papel fundamental de atuar preventivamente na ocorrência dessas dificuldades decorrentes do avanço da idade, antes mesmo que apareçam os primeiros sinais do envelhecimento, com o objetivo de promover saúde para essas pessoas. É possível envelhecer com saúde e a fonoaudiologia tem muito a contribuir com esse processo e muito trabalho pela frente!


#fonoaudiologia #conscienciafonologica #planilhasdefonoaudiologia #terapiafonoaudiologica #terapiadefonoaudiologia

494 visualizações