• Planilha Ideal - Redação

Custeio ABC por uma abordagem gerencial

Nesta série de publicações apresentamos conceitos amplos e gerais de gestão em finanças empresariais, as possibilidades de atuação nesse setor e os princípios e métodos de ser fazer o custeio em sua empresa. As publicações são resumidas e apresentam conceitos introdutórios de cada tema. Acompanhe e inscreva-se para recebê-las direto no seu e-mail.

planilha custeio ABC gerencial

Na publicação passada vimos a relação que existe entre Custo, Volume de produção ou serviço e Lucro. Na publicação de hoje veremos como o método de Custeio ABC é usado para auxiliar a gestão. Por essa abordagem gerencial, veremos como esse Custeio é feito em conjunto com o Custeio Variável.

O custeio ABC que iremos apresentar possui uma abordagem mais ampla. Com duas Visões: Uma Visão econômica, ou vertical, que já vimos até agora, em que é feito a apropriação de custos aos objetos de custeio através das atividades de cada departamento, e uma visão de melhorias de processo, ou horizontal, que capta os custos de processo através dos departamentos funcionais. Um exemplo pode ser visto nessa tabela. O processo de vendas envolve diversas atividades.

O Custeio ABC é mais que um custeio, seria uma Ferramenta de Gestão de Custos. Isso porque o ABC foca em processos e os Custos dos processos são interdepartamentais. Assim, o ABC favorece, por exemplo, atividades de reengenharia, em que após análises de processos são definidos melhores direcionadores de custo, até mesmo para justificar a nova metodologia e definir melhores custos dos projetos. o ABC também contribui com ações na área de Análise de Valor, ou seja, são mapeadas as atividades que adicionam ou não. Essas últimas são eliminadas. O valor é subjetivo e pode ser relativo tanto a clientes internos quanto externos. Como exemplo de atividades que não agregam valor, temos as atividades de inspecionar, conferir, retrabalhar, armazenar, movimentar materiais, etc.

O Custeio ABC também motiva o que chamamos de Gestão Baseada em Atividades. Ela pode influenciar decisões estratégicas, como avaliar alternativas de mix de produto; alternativas de formação de preço; alternativas nos processos; redesenho do produto; incentivar a redução de atividades que não agregam valor; e elaborar orçamentos baseados em atividades.

Vamos retomar o exemplo[1] da publicação passada sobre o custeio ABC e supor que a empresa do irá incluir no custo dos produtos, atividades de vendas e administração. Ela fará, também, o custeio dos principais processos produtivos. Assim, o 1º passo a ser feito é levantar atividades de administração e vendas; o 2º passo é levantar os custos das atividades de administração e vendas; e o 3º passo é levantar os direcionadores das atividades de administração e vendas.


Por meio dos Direcionadores de Custo é possível determinar o “consumo” dos direcionadores. Com esses dados, podemos apurar os Custos Unitários de cada produto, conforme visto no método de custeio ABC, da publicação passada sobre o custeio ABC. Assim, chegamos aos Direcionadores de Custos das Atividades de cada produto. Temos mapeado as Atividades relacionadas à Produção e as Não-Produção, como atividades Administrativas, de Vendas e Financeiras.


Pelo resumo do Custeio ABC temos as apropriações dos Custos Diretos complementadas pelos Custos das Atividades formando o Custo Total. Com isso, a ordem de lucratividade dos produtos também é alterada. Finalmente, tem-se a Demonstração dos Resultados contemplando Vendas, Custos Diretos, Custos das Atividades, que se dividem em atividades de Produção e Não-Produção.

A Grande vantagem do Custeio ABC é que ele é Diferente dos sistemas “tradicionais” e Não se restringe apenas a obter o custo do produto. É possível obter o Custo do processo, que, por definição, são um conjunto de Atividades inter-relacionadas. Com isso, é possível obter melhorias ou até mesmo buscar a eliminação das atividades que não agregam valor. Tal atitude leva ao aumento de competitividade da empresa. Veja por exemplo, que o processo de compras envolve mais de uma atividade. Uma delas, inclusive, não é do mesmo departamento.


O ABC também pode ser usado em conjunto com o Custeio Variável. Isso é muito bom, porque o Custeio Variável não dá muita ênfase na alocação dos custos fixos, mas o ABC apresenta Bons direcionadores de custo: São as Atividades. Assim, podemos ter os Custos e Despesas Globais alocados em: Custos e Despesas Variáveis, assim conseguimos ter uma Margem de Contribuição completa, pois os Custos estão totalmente alocados aos produtos, pelos Direcionadores do ABC; e os Custos e Despesas Fixos são Apropriados pelo custeio ABC. Uma forma de fazer a distribuição dos custos é Trabalhar com o volume orçado para o período. Ressalto aqui uma questão: ”Não há um método melhor que outro. Há que se avaliar os custos de implantação e a qualidade do resultado exigida por tipo de operação”.