• Planilha Ideal - Redação

Como fazer o custeio ABC

Nesta série de publicações apresentamos conceitos amplos e gerais de gestão em finanças empresariais, as possibilidades de atuação nesse setor e os princípios e métodos de ser fazer o custeio em sua empresa. As publicações são resumidas e apresentam conceitos introdutórios de cada tema. Acompanhe e inscreva-se para recebê-las direto no seu e-mail.

Na publicação passada vimos que para fazer o Rateio dos Custos Indiretos é preciso ter critérios bem estabelecidos. O negócio não pode ser feito de qualquer forma. O que é bom para uma empresa, não necessariamente é bom para a outra. Além disso, os critérios de rateio de Custos Indiretos devem ser homogêneos para não “maquiar” os resultados. Nessa publicação, apresentamos o Custeio Baseado em Atividade - ou Custeio ABC, de Activity-Based Costing.


O Custeio ABC é uma metodologia de custeio para reduzir distorções de rateio arbitrário dos Custos Indiretos. A necessidade de adotar o custeio ABC vem com os avanços tecnológicos e a grande diversidade de produtos sendo geralmente produzidos na mesma fábrica, o que acarreta o aumento dos Custos Indiretos. O objetivo do custeio ABC é eliminar a arbitrariedade no rateio dos Custos Indiretos, assim, ele ajuda o Custeio por Absorção estabelecendo rateios mais lógicos para os produtos. Então, vamos entender como funciona o custeio ABC por meio de um exemplo [1].

Uma pequena confecção fabrica 3 produtos: camisetas, vestidos e calças. Ela registra as informações do volume de produção no mê e o preço unitário de venda. Seus Custos Diretos também são alocados a cada produto. Ele é formado por tecidos, aviamentos e da mão de obra direta. A confecção possui 2 departamentos de produção: o departamento de Corte e Costura e o de Acabamento. Os tempos unitários de produção são registrados. Os custos indiretos, formados por aluguel, energia elétrica, salários de mão de obra, etc, somam R$100.000. As Despesas Administrativas e com vendas somam R$57.860.



Atribuirmos inicialmente os Custos Indiretos de Produção aos produtos sem a Departamentalização. Como critério de rateio, vamos adotar o Custo de Mão-de-obra Direta. Assim, dividindo os Custos Indiretos, de 100 mil, pelo Custo de Mão-de-obra Direto de 13.850 temos uma taxa de 7,22 de Custo Indireto por Custo de Mão-de-obra Direto. Assim, aplicamos os R$100.000 de Custo Indireto aos produtos.

Podemos ver, nesse Quadro Resumo, que a calça é o produto mais lucrativo, seguido de vestidos e por último as camisetas. Em seguida, é apresentada a Demonstração de Resultados. Perceba que os Custos Indiretos não são Departamentalizados.


Para alocar os Custos Indiretos de Produção aos produtos usando Departamentalização, a primeiro coisa a ser feita é levantar os departamentos. Nesse caso temos o Departamento de Produção, com atividades de Corte e Costura e Acabamento e o Departamento de Apoio, com serviços de Compras, Almoxarifado e Administração da Produção.

Dessa forma, os custos dos Departamentos de Apoio são distribuídos aos Departamentos de Produção. Em seguida os Custos de Produção são divididos pelas horas de produção e obtém-se, com isso, os custo por hora de cada Departamento de Produção.


Usando esses custos e as informações de tempos unitários de produção, é possível determinar os Custos Indiretos Unitários de cada produto em cada processo produtivo. Analisando o Quadro Resumo, percebemos que as camisetas, que eram as menos lucrativas, passam a ser as mais lucrativas, seguidas dos Vestidos e das Calças.


Podemos ver, também, na Demonstração de Resultados, que os Custos Indiretos de Produção estão Departamentalizados, nos setores de Corte e Costura e no setor de Acabamento.

Podemos evoluir ainda mais na distribuição dos Custos Indiretos, por meio do Custeio ABC. A primeira atividade a ser feita é a Identificação das atividades relevantes, em seguida, agrupar os custos das atividades e fazer a Atribuição de forma criteriosa, seguindo a ordem de, primeiro, fazer pela Alocação Direta, que é a mais fácil, em seguida, pelo Rastreamento dos custos, nesse caso deve-se mapear e usar os Direcionadores de Custo e, por último, o rateio.

Então as Atividades relevantes são mapeadas por cada Departamento. Em seguida, são levantados os custos e os Direcionadores de custos de cada Atividade. Os Direcionadores de Custo são usados para levantar o nível de Atividades para cada produto.

Com isso, podemos obter os Custos Indiretos Unitário para cada produto.

O Quadro Resumo mostra que, usando a Departamentalização com o Custeio ABC, percebemos que as calças, que no quadro anterior eram as menos lucrativas, são as mais lucrativas e os Vestidos, que no primeiro quadro eram os mais lucrativos, na verdade dão prejuízo.

Finalmente, vemos pela Demonstração de Resultados, que os Custos Indiretos são divididos dez atividades para cada produto. Essa distribuição dos Custos Indiretos é de maior qualidade, pois temos mais informações que para as situações anteriores.

O gráfico abaixo ilustra as diferentes lucratividades por produto usando os três métodos de Custeio. Veja como varia. O exemplo é didático e mostra que, quanto mais informação, melhor a qualidade da distribuição dos Custos Indiretos.

As fórmulas, gráficos e planilhas de custeio padrão, com departamentalização pelo método ABC estão na planilha disponível para download:


Referências:

[1] MARTINS, Eliseu et al. Contabilidade de custos. São Paulo: Atlas, 1980.