• Planilha Ideal - Redação

O que é demonstração financeira?

Nesta série de publicações apresentamos conceitos amplos e gerais de gestão em finanças empresariais, as possibilidades de atuação nesse setor e os princípios e métodos de ser fazer o custeio em sua empresa. As publicações são resumidas e apresentam conceitos introdutórios de cada tema. Acompanhe e inscreva-se para recebê-las direto no seu e-mail.


O que são demonstrações financeiras? Estamos falando de retrato e filmes de empresa?


Demonstrações financeiras são diferentes de demonstrações contábeis. Vamos começar com o Balanço Patrimonial que é um retrato da empresa, ou seja, uma forma conveniente de organizar o que ela tem, que são os ativos, o que ela deve, que são os passivos, e a diferença entre os dois, que é o que sobra, ou o patrimônio líquido, em um dado momento.


Nessa equação, o lado esquerdo é igual ao lado direito. A equação do balanço fica assim:


Ativo = Passivo + Patrimônio líquido.


Os ativos, no lado esquerdo, são classificados como "circulantes" ou "permanentes". O ativo permanente pode ser tangível, como um computador ou caminhão, ou intangível, como uma marca ou patente. Já o ativo circulante são estoques, o caixa e até as contas a receber. O ativo circulante tem vida menor. Em menos de 12 meses será convertido em caixa.


Os passivos, no lado direito, são classificados como "circulantes" ou "exigível de longo prazo". Os passivos circulantes são contas a pagar, e precisam ser pagas em até 12 meses. Dívidas de longo prazo, como empréstimos a serem pagos em 5 anos, são chamados de exigíveis de longo prazo, ou obrigações. Ainda do lado direito, temos o patrimônio líquido, ou capital dos acionistas ou capital próprio, que é diferença entre o total dos ativos (circulantes e permanentes) e os passivos (circulantes e obrigações). Seria o que sobra se a empresa vendesse todos os seus ativos e usasse o dinheiro para pagar todas as suas dívidas.


O capital de giro líquido (CGL) é a diferença entre o ativo circulante e o passivo circulante.


Capital de giro líquido = Ativo circulante - Passivo circulante.


Em empresas saudáveis, o CGL é positivo. Se CGL > 0, o fluxo de caixa disponível em 12 meses é maior que o fluxo de caixa a ser pago nos 12 meses.


E o que é alavancagem financeira? Alavancagem Financeira é uma técnica para multiplicar a rentabilidade através do endividamento. Exemplo: uma empresa compra de uma máquina cara com dinheiro de empréstimo. Essa decisão gera o aumento da participação de terceiros na estrutura do capital da empresa. O endividamento aumenta a chance de remuneração para os acionistas, pois, com máquinas novas pode-se aumentar a produção e as vendas, mas aumenta a chance de insolvência, ou falência. Quanto mais a dívida consome um percentual do ativo, maior o grau de endividamento. Como já dissemos, ela também funciona como alavanca. Usá-la pode gerar ganhos ou perdas. A alavancagem financeira aumenta a chance de remuneração para os acionistas, mas aumenta a chance de insolvência, ou falência. Por outro lado, a alavancagem operacional é usada para aumentar as vendas sem aumentar os custos fixos, ou seja, consiste no aumento da lucratividade em função do aumento dos custos variáveis.


Já a liquidez é a facilidade de um ativo virar dinheiro sem perda de valor. Ouro é um ativo líquido. Um prédio não é. Ativos são apresentados em ordem decrescente de liquidez: Ativo circulante > Contas a receber > Estoques > Ativos permanentes > Ativos intangíveis. Ativos permanentes e Ativos intangíveis não são convertidos em caixa. Eles geram caixa. Liquidez tem valor. Quanto mais líquido, menor a chance de quebrar.


E por que se difere o valor de mercado e o valor contábil em finanças empresariais?


O valor de mercado é diferente do valor contábil. O valor de mercado não está no Balanço Patrimonial. O valor de mercado é o valor do ativo caso ele fosse vendido. O valor contábil é o valor do ativo a custos históricos, ou seja, no momento em que foram adquiridos. O valores de ativos circulantes e o valor de mercado devem ser próximos, pois são convertidos em caixa em período curto, 1 ano. Por outro lado, o valor contábil dos ativos permanentes, como terrenos ou prédios, pode ser bem diferente do seu valor de mercado. No final das contas, o valor de mercado é o que conta. O objetivo do administrador financeiro, inclusive, é aumentar o valor de mercado (ou econômico) das ações.




Fonte: Ross, Stephen A.; Westerfield, Randolph W. Princípios de administração financeira. Altas, 2000.